Processos

Seu produto pode durar mais na prateleira com a embalagem certa. Veja como escolher

Embalagens que podem melhorar a vida útil na prateleira são aquelas que evitam a oxidação do produto causada pelo contato com o oxigênio que está presente em nosso ar e que atua na propagação de bactérias, fungos e microorganismos.

De acordo com o gerente de vendas das divisões de inspeção e embalagem da Sunnyvale, Alessandro Paixão, a vida útil do produto em prateleira pode variar de acordo com o tipo de embalagem empregada. Caso o produto esteja apenas selado sem que se faça o vácuo ele pode ter uma vida útil menor do que se estiver embalado a vácuo que faz com que o produto possa chegar a ter até 10 vezes mais vida útil. Nesse caso deve-se fazer testes de durabilidade do produto quando in-natura, embalado a vácuo ou embalado com gases para se chegar ao melhor tempo de vida para o produto.

“Cada produto deve passar por uma análise anterior à chegada ao mercado para definir o tempo de exposição máximo em prateleira. E se o mesmo deve ficar refrigerado ou congelado”, comenta. Por exemplo, a carne bovina quando embalada a vácuo pode ter sua vida útil aumentada para mais de um mês e quando exposta sem embalagem deve ser consumida no máximo em 3 dias se mantida refrigerada. O uso de embalagens garante maior durabilidade, porém, o tempo de vida do produto depende muito do quanto cada produto carrega de oxigênio internamente e sua reação a temperaturas diversas.

Para que todo o processo aconteça corretamente são utilizadas embaladoras a vácuo para fazer a retirada do oxigênio e realizar a selagem da embalagem para que não haja penetração do ar ambiente. “Uma das vantagens de utilizar a embalagem a vácuo é que nela os produtos não têm perda de peso ou líquidos, mantendo a umidade padrão do produto e seu aspecto de fresco”, comenta.

Na produção dessas embalagens, geralmente são utilizados sacos plásticos confeccionados com barreiras de diferentes tipos de compostos como, por exemplo, a combinação de Polietileno de Baixa Densidade e Poliamida. Cada um tem uma função especifica como controle de barreira do oxigênio e também de umidade.

Paixão comenta que proteínas animais como carnes de bovinos, suínos, frangos e peixes são as mais habituais a receberem esses tipos de embalagens para que se tenha um prolongamento de sua vida útil e também a preservação de seu frescor. Porém, muitas outras proteínas acabam recebendo tratamentos e embalagens especificas para ter sua durabilidade aumentada.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *